A casa caiu: WikiLeaks revela como a CIA hackeia os seus eletrônicos com o vazamento Vault 7

7 de março de 2017 Comentário(s)
A casa caiu: WikiLeaks revela como a CIA hackeia os seus eletrônicos com o vazamento Vault 7
Shares 30

A WikiLeaks está causando na internet nesta terça (7). A organização expôs informações concretas sobre o arsenal hacker da CIA, o órgão de inteligência dos EUA. Chamado de Vault 7, o vazamento foi liberado de forma serializada começando com “Ano Zero” como o primeiro lote.

Um cache com mais de 8500 documentos e arquivos foi disponibilizado pela rede de transferência de dados BitTorrent. A priori, uma conferência ao vivo no Facebook e Periscope com o próprio Julian Assange estava preparada para as 9 da manhã do horário do Pacífico, mas como houve um ataque, a WikiLeaks optou por usar um plano de contingência e então liberar a senha para abrir os arquivos antes do tempo.

Os arquivos vazados explicam em detalhes como a CIA utiliza exploits em sistemas operacionais de iPhones, dispositivos Android, Windows e até mesmo TVs da Samsung que têm microfone para escutar as pessoas. Nem mesmo roteadores do macOS e Linux escapam.

Nada está seguro

A WikiLeaks explica que a divisão de hacking da CIA (conhecida como Center for Cyber Intelligence – CCI) produz centenas de armas como malware. Os vírus e trojans são difundidos no mundo todo e rodam em uma variedade absurda de aparelhos.

Este vazamento está sendo descrito como “Snowden 2.0” tamanha a quantidade de dados: são bilhões de linhas de códigos que mostram a capacidade da CIA:

Tal escala é tão gigante que a CIA, em 2016, tinha utilizado mais linhas de código do que o necessário para rodar o Facebook. A CIA criou, de fato, sua ‘própria NSA’ com menos responsabilidade e sem responder publicamente à questão de saber se uma despesa orçamentária duas vezes maior que a capacidade da agência rival poderia ser justificada.

Nem o WhatsApp escapa

As ferramentas da CIA são tão poderosas que podem quebrar a encriptação de mecanismos avançados existentes em mensageiros instantâneos populares como os apps Signa, Confide, Wiebo, Cloackman, Telegram e até mesmo o WhatsApp, que é utilizado por mais de um bilhão de pessoas.

O documento também revela que a CIA trabalhou com o MI5 do Reino Unido para infectar Smart TVs da Samsung para que seus microfones fossem ligados a sua própria vontade. Investigadores poderiam tomar controle até de carros e caminhões mais modernos, além de hackear dispositivos mais simples como iPhones, iPads e dispositivos Android.

Como ter acesso ao vazamento

Se você quiser baixar os arquivos para dar uma espiadinha, você pode fazer o download desse arquivo torrent e extraí-lo usando o programa 7-ZIP. A senha para decodificar o arquivo é SplinterItIntoAThousandPiecesAndScatterItIntoTheWinds

A WikiLeaks garante que tomou todo o cuidado possível para revisar todos os documentos e informações vazadas para evitar que ferramentas de distribuição de ciberarmas possa ser propagada na rede. Portanto, não há motivos para se preocupar com a disseminação deste arquivo.

Fonte(s): Betanews

Notícias Relacionadas

Comentários

Fundador e ex editor-chefe dos produtos TecMundo e Mega Curioso, trabalho com internet desde 2003. Sou extremamente apaixonado por tecnologia, produtos eletrônicos e video games, acompanhando e participando ativamente deste mercado. Integrante da equipe Techroad, acredito que um conteúdo excelente pode se transformar em conhecimento e enriquecer culturalmente toda a sociedade.