O que é e para que serve a tecnologia Dolby Atmos?

15 de janeiro de 2017 Comentário(s)
O que é e para que serve a tecnologia Dolby Atmos?
Shares 184

Você já deve ter se deparado com filmes e eletrônicos que dizem suportar a tecnologia Dolby Atmos e teve muita curiosidade em saber para que serve e como funciona. Chega de mistério!

Criada pela Dolby Laboratories em 2012, esta tecnologia de som surround foi utilizada primeiramente nos cinemas estadunidenses na animação de longa metragem Valente (Brave), da Pixar, em junho de 2012. Desde então, milhares de salas de cinema no mundo todo começaram a adotar a tecnologia, que caiu nas graças de Hollywood e se tornou o padrão de áudio atual da indústria.

Além disso, nos últimos anos a Dolby Atmos expandiu seus campos de atuação e também chegou às casas por meio de home theaters que suportam conteúdo criado neste padrão e até mesmo smartphones mais recentes que também embarcam a tecnologia de fábrica em seu sistema de áudio.

O grande diferencial da tecnologia é a permissão de um número ilimitado de faixas de áudio que podem ser distribuídos dinamicamente nos alto-falantes para criar uma experiência 3D imersiva, o que possibilita os produtores posicionar a propagação de som exatamente como imaginaram através de simulação de efeitos sonoros.

O que é a Dolby Atmos?

É uma tecnologia que emprega uma técnica de propagação de som em três dimensões no espaço, permitindo que o telespectador sinta-se dentro da cena que está assistindo. Para visualizar melhor esta nova experiência, é preciso entender como era a tecnologia antes do Dolby Atmos existir.

Anteriormente, utilizávamos nos cinemas as caixas de som estéreo, com ondas sonoras sendo propagadas em dois canais: um na esquerda e um na direita. Depois, a técnica foi aprimorada com o som surround por meio de cinco ou sete alto-falantes que possibilitava um som ainda mais rico, porém a limitação de canais ainda ficava limitada a quantidade dos alto-falantes.

O Dolby Atmos revoluciona o áudio ao liberar o som dos canais, resultando numa atmosfera 3D de som que pode ser propagado mesmo em cima da sua cabeça. Ele também possibilita controles precisos de sons individuais, que, aliás, podem ser programados para se manter ou se mover no espaço de acordo com os produtores de áudio de determinado conteúdo.

Cada som independente pode ser mais estridente ou grave, mais alto ou mais baixo, mais difuso ou mais focado, comportando-se de maneira mais idêntica ao mundo real. Atualmente, a Dolby está adaptando esta tecnologia que era proprietária de cinemas para home theaters e até mesmo smartphones, utilizando fones de ouvido.

Por que ele é a melhor experiência de áudio?

Para tentar demonstrar o seu funcionamento em palavras, vamos criar uma situação hipotética. Pense num filme em que o protagonista está cercado por quatro inimigos em posições diferentes que estão atirando com submetralhadoras. Num sistema de áudio tradicional, os canais de áudio emulariam os sons dos quatro inimigos de uma só vez.

Contudo, no Dolby Atmos os sons de cada um são completamente independentes, portanto é como se cada um deles tivesse o seu próprio “canal de áudio” e você conseguiram escutá-los perfeitamente de acordo com o posicionamento. Dito isto, vamos ver alguns dos principais diferenciais da tecnologia:

  • Imersão: é como se você estivesse dentro do filme, seriado ou jogo. Ao combinar do Dolby Atmos junto de efeitos 3D, o resultado em termos de áudio é o mais próximo da vida real.
  • Qualidade de áudio: por criar um som independente para cada pessoa ou objeto, não o chamado “efeito fantasma” de áudio. Cada elemento tem um som independente e por não haver esta emulação em conjunto, a pureza original da gravação permanece.
  • Tamanho não é documento: não importa o lugar que o sistema de som seja implementado, ou seja, o tamanho físico das salas não altera a experiência. A sua percepção será idêntica se as caixas acústicas estiverem posicionadas corretamente.
  • Coordenação sonora: com cada objeto tendo seu próprio som, a fidelidade dos efeitos sonoros de ambientes mais sofisticados dão uma sensação de imersão absurda.

Como funciona a Dolby Atmos?

No sistema de áudio tradicional, os engenheiros de som precisavam executar sons independentes juntos num mesmo canal. Desta forma, eles programavam em qual das caixas o som deveria sair. Porém, no Dolby Atmos, eles podem pegar os sons captados das cenas e fazê-los se mover no espaço tridimensional como bem entenderem, não importando a quantidade de canais.

Porém, para você ter a tecnologia Dolby Atmos em sua casa, assim como no 3D, você vai precisar de um sistema de áudio que suporte a tecnologia e também consumir conteúdo que foi adaptado para ela. Sendo assim, basta configurar o seu Blu-Ray player, receiver, console ou dispositivo eletrônico de streaming para que trabalhe com o a saída de áudio na forma “Bitstream Out”. Opções de áudio como idioma secundário ou comentários do diretor também precisam estar desativadas.

O Dolby Atmos funciona com qualquer layout de alto-falantes: 2.0, 2.1, 5.1, 7.1… Não importa a sua configuração, embora obviamente quanto mais caixas você tiver espalhada pelo ambiente, melhor será a imersividade. A Dolby aconselha fortemente usar alto-falantes no teto ou adicionar um módulo “upward-firing” em cima das caixas que você já possui para propagar as ondas para o teto.

Onde ela é aplicada atualmente?

Validada primeiramente nas salas de cinema, a Dolby Atmos ganhou a confiança dos estúdios de Hollywood desde 2012 e agora está presente também para uso doméstico em home theaters e até mesmo smartphones.

1. Cinema

Nos cinemas, a partir de 2012, os produtores sonoros puderam criar experiências de áudio com caixas acústicas espalhadas por toda a sala. Desta forma, cada som pode ser isolado para ser exibido exatamente no espaço tridimensional em que ele foi programado.

E o melhor de tudo é que não importa onde você esteja sentado — na frente, atrás ou mesmo bem no meio ou nos cantos — o som vai te envolver com fidelidade e clareza. Confira alguns dos filmes mais recentes e futuros que já suportam a tecnologia:

  • Animais Fantásticos e Onde Habitam
  • Assassin’s Creed
  • Passenger
  • Rogue One: A Star Wars Story
  • Doutor Estranho
  • Star Trek:  Beyond
  • Procurando Dory
  • Warcraft
  • X-Men: Apocalypse
  • Batman vs Superman
  • Deadpool
  • Spider-Man: Homecoming
  • Carros 3
  • A Múmia
  • Guaridões da Galáxia: Volume 2
  • Velozes e Furiosos 8
  • Power Rangers
  • Logan
  • Mulher-Maravilha
  • Piratas do Caribe: Os Mortos Não Contam Histórias

2. Ambientes domésticos

A tecnologia Dolby Atmos para casas chegou em 2014 e funciona de maneira semelhante ao cinema, com cada som se comportando como um objeto de áudio. A diferença é que ele usa codecs de áudio da Dolby numa escala algorítmica avançada para ser reproduzida via discos Blu-Ray ou algumas mídia via streaming.

Para tanto, você precisa de receptor de áudio (receiver ou home theater) que tenha suporte ao Dolby Atmos (que pode funcionar com até 34 alto-falantes diferentes). O Dolby Atmos for Home suporta até 128 objetos de áudio simultâneos e recria a experiência imaginada pelo diretor de áudio ao poder retransmitir todos os metadados gravados e configurados para se propagar tridimensionalmente na sua sala.

Seu principal diferencial é a possibilidade de propagar o som em cima da cabeça do espectador, mas para ter este resultado você precisa adicionar caixas acústicas no teto ou mesmo comprar um alto-falante modular chamado “upward-firing” que pode ser acoplado à caixas comuns para propagar o som para cima

Porém, vale ressaltar que devido a o uso de banda enorme e ao alto processamento empregado, a tecnologia Dolby Atmos para home theaters não se iguala a do cinema. Sua substeream é mais capada e nem sempre ela consegue executar todos os 128 sons independentes adequadamente.

Você pode acompanhar a lista de todos os filmes que suportam a tecnologia desde 2012 até 2017 por meio deste endereço no site oficial da Dolby!

3. Smartphones e Tablets

O sistema de áudio multidimensional da Dolby Atmos agora também funciona em alguns smartphones e tablets. Ele funciona com qualquer fone de ouvido e vai simular a movimentação sonora. Contudo, você precisa que o dispositivo tenha o certificado para poder ter este tipo de experiência.

Smartphones como o Nokia 6 e outros que estão sendo apresentados em 2017 já estão embarcando a tecnologia e veremos cada vez mais dispositivos nos próximos anos.

4. Sistemas de música

DJs e produtores sonoros também podem se beneficiar da Dolby Atmos utilizando softwares para configurar suas criações e reproduzi-las em smartphones ou mesmo casas noturnas exatamente do mesmo jeito que idealizaram, como você pode ver neste trailer:

****

Em 2016, a UCI Cinemas inaugurou a primeira sala XPLUS com som Dolby Atmos em São Paulo, no Santana Parque Shopping. Estima-se que nos próximos anos a grande maioria das salas de cinema utilizem a tecnologia e que mais conteúdo — seja ele filme, série, jogo ou experiências em realidade virtual — esteja disponível para desfrutarmos.

Fonte(s): Dolby

Comentários

Fundador e ex editor-chefe dos produtos TecMundo e Mega Curioso, trabalho com internet desde 2003. Sou extremamente apaixonado por tecnologia, produtos eletrônicos e video games, acompanhando e participando ativamente deste mercado. Integrante da equipe Techroad, acredito que um conteúdo excelente pode se transformar em conhecimento e enriquecer culturalmente toda a sociedade.