Grafeno 3D testado pelo MIT é dez vezes mais forte que o aço e traz descoberta interessante

9 de janeiro de 2017 Comentário(s)
Grafeno 3D testado pelo MIT é dez vezes mais forte que o aço e traz descoberta interessante
Shares 5

Tempo de leitura: 2 minutosAs aplicações do material grafeno há décadas são tidas como revolucionárias e projetam ele como o material do futuro. Em sua estrutura molecular em 2D, ele é conhecido por ser o material mais forte e leve de todos os materiais conhecidos pelo Homem. Porém, quando se trata de aplicações 3D no mundo real, até o momento pouco se viu de prático e milagroso como tanto se falou na comunidade científica. Até hoje.

Uma equipe de engenheiros do MIT conseguiu finalmente imprimir o grafeno em 3D com 5% da densidade do aço e 10 vezes a sua força num objeto que lembra uma esponja. Ainda, eles conseguiram analisar esta criação no nível atômico para produzir um framework matemático para prever com precisão os resultados de experimentos, como é possível ver neste vídeo:

No teste, eles utilizaram uma impressora 3D comercial para criar a esponja de plástico e realizar vários testes de compressão com prensas hidráulicas para verificar o quanto as estruturas aguentariam antes de entrar em colapso. A descoberta? Imprimindo dois modelos com paredes de espessura diferente, foi constatado que a esponja mais fino e flexível se deformou muito mais gradualmente, enquanto a mais espessa e rígida explodiu rapidamente.

Uma descoberta promissora

Eles concluíram que o aspecto geométrico do formato 3D é crucial e talvez tão mais importante que o uso apenas do material grafeno, sugerindo que outros vários materiais tão leves quanto o grafeno possam se tornar resistentes dependendo de sua configuração geométrica.

Aumentar a força de um material apenas ajustando a sua geometria abre uma porta sem precedentes para uma variedade de aplicações práticas, como fortalecer estruturas com materiais leves em carros, aviões, pontes, construções e outras estruturas complexas.

Uma potencial utilização é pegar o polímetro e partículas de metal, revesti-los com grafeno e depois remover os materiais de base após tratamento com pressão e calor. Este método deixaria o grafeno super leve e forte no lugar

O MIT acredita ainda que estruturas geométricas porosas e contínuas em superfícies largas também possam ter aplicabilidade em áreas como filtragem e armazenamento de energia.

Fonte(s): MIT

Comentários

Fundador e ex editor-chefe dos produtos TecMundo e Mega Curioso, trabalho com internet desde 2003. Sou extremamente apaixonado por tecnologia, produtos eletrônicos e video games, acompanhando e participando ativamente deste mercado. Integrante da equipe Techroad, acredito que um conteúdo excelente pode se transformar em conhecimento e enriquecer culturalmente toda a sociedade.