Cientistas conseguiram recriar teia de aranha em laboratório

10 de janeiro de 2017 Comentário(s)
Cientistas conseguiram recriar teia de aranha em laboratório
Shares 187

Pesquisadores suecos da Universidade Sueca de Ciências Agrárias divulgaram nesta última segunda (9) que conseguiram reproduzir estruturas similares a teia de aranha a partir de bactérias, proteínas e um aparelho de fiação. Tal feito permitirá criar fios leves, flexíveis e biodegradáveis mais fortes que o aço.

Há tempos que cientistas gastam tempo e dinheiro em busca de recriar as propriedades exclusivas dos fios de aranha de maneira sintética. Afinal, nossos amigos aracnídeos conseguem tecer fios de seda mais fortes que Kevlar e 30 vezes mais finos que um cabelo humano.

Como eles conseguiram isso?

Após descartar a possibilidade de utilizar aranhas de verdade para criar fios, uma vez que elas produzem em pequena quantidade e geralmente se matam quando colocadas juntas, a saída foi estudar o processo químico e biológico que cria longas cadeias de moléculas de proteínas interligadas.

Basicamente as aranhas secretam uma solução proteica em um canal muito estreito cuja acidez muda drasticamente enquanto a pressão aumenta, permitindo que as moléculas se liguem e formem cadeias ultrarresistentes.

Para imitar à natureza, segundo a Nature Chemical Biology, os cientistas utilizaram proteínas em uma cultura de bactérias E. coli. junto de um aparelho de fiação que imita as mudanças de pH da aranha para fazer a seda de maneira artificial sem utilizar produtos químicos agressivos.

Aplicações futuras

Para o pesquisador e co-autor da técnica, Jan Johansson, as futuras aplicações de sua criação estão primeiramente no campo da medicina. Ele afirma que os fios artificiais poderão ser utilizados na reparação da medula espinhal ou juntamente de células-tronco em crescimento para reparar corações machucados.

Entretanto, tal descoberta abre as portas também para a indústria têxtil, permitindo criar roupas e equipamentos mais leves que podem proteger o corpo dos seres humanos.

Fonte(s): Nature Chemical Biology

Comentários

Fundador e ex editor-chefe dos produtos TecMundo e Mega Curioso, trabalho com internet desde 2003. Sou extremamente apaixonado por tecnologia, produtos eletrônicos e video games, acompanhando e participando ativamente deste mercado. Integrante da equipe Techroad, acredito que um conteúdo excelente pode se transformar em conhecimento e enriquecer culturalmente toda a sociedade.