Criança de 6 anos usa dedão da mãe que dormia para gastar em Pokémon

27 de dezembro de 2016 Comentário(s)
Criança de 6 anos usa dedão da mãe que dormia para gastar em Pokémon
Shares 14

Tempo de leitura: 2 minutosCompre um smartphone mais seguro, eles disseram. Compre um smartphone que tenha bloqueio por sensor biométrico, eles disseram. Assim você estará seguro, eles disseram. Infelizmente para uma mãe estadunidense nada disso foi necessário para controlar o impulso consumista de sua filha por Pokémon.

Brincadeiras à parte, a Comissão Federal de Comércio estadunidense têm combatido a forma como empresas como Amazon, Apple e Google fazem pagamentos digitais em compras dentro de apps, principalmente por causa das crianças. E um dos questionamentos que eles levantam remete ao exemplo que aconteceu recentemente com a mãe Behany Howell, que vive no Arkansas.

Ela descobriu que sua filha, Ashlynd, “manjou” como fazer para desbloquear o aparelho e pegou o seu dedão enquanto dormia no sofá. O resultado? Ela desbloqueou o celular e inclusive abriu o app da Amazon também com a segurança biométrica para comprar 13 presentes relacionados a itens de Pokémon, gastando aproximadamente 250 dólares.

Os sistemas de compra digitais estão tão intuitivos que até mesmo crianças pequenas conseguem realizar transações

Ao receber a confirmação dos treze pedidos, os pais inicialmente acharam que tinham sido hackeados, porém descobriram que Ashlynd os comprou sem intenção. Segundo Howell, a criança inocentemente falou: “Não, mamãe, eu estava apenas fazendo compras. Mas não se preocupe, tudo que comprei vem direto para casa”. Howell então verificou que seria possível apenas devolver quatro dos treze itens, então a solução encontrada foi dizer que o Papai Noel descobriu e iria trazer isso de Natal.

Embora a história tenha terminado com um bom desfecho, fica o alerta: as lojas digitais ficaram tão intuitivas que até mesmo crianças pequenas conseguem realizar transações em questão de segundos. Por isso, atenção redobrada e educação digital são super relevantes neste século 21.

Fonte(s): The Wall Street Journal

Comentários

Fundador e ex editor-chefe dos produtos TecMundo e Mega Curioso, trabalho com internet desde 2003. Sou extremamente apaixonado por tecnologia, produtos eletrônicos e video games, acompanhando e participando ativamente deste mercado. Integrante da equipe Techroad, acredito que um conteúdo excelente pode se transformar em conhecimento e enriquecer culturalmente toda a sociedade.