Review: smartwatch ASUS ZenWatch 3

22 de dezembro de 2016 Comentário(s)
Review: smartwatch ASUS ZenWatch 3
Shares 2

Tempo de leitura: 7 minutosHá dois anos, os smartwatches entraram na pauta dos consumidores como uma opção promissora para facilitar o dia a dia. Porém, desde o anúncio da plataforma Android Wear, em março de 2014, as mudanças parecem não ter sido suficientes para emplacar de uma vez por todas a necessidade de se ter um relógio inteligente no pulso.

De acordo com dados do IDC (International Data Corporation), divulgados em outubro deste ano, em 2016 foram vendidos 52% menos dispositivos como esses se comparado ao mesmo período no ano passado. No Brasil, são poucas as fabricantes que ainda apostam nesse mercado e, muitas delas, optaram por não atualizar seus primeiros modelos vendidos por aqui.

Remando contra essa corrente, a ASUS tornou oficial no Brasil o ZenWatch 3, terceira geração do relógio inteligente da empresa taiwanesa. Ele chegou às lojas no mês de novembro e a versão vendida por aqui é importada, ou seja, nada de fabricação local. O preço inicial sugerido é de R$ 1.799. Será que vale a pena investir o seu dinheiro nele?

Smartwatch ASUS ZenWatch 3: especificações

  • Sistema operacional: Android Wear 1.5
  • Tela: AMOLED de 1,39 polegada 2,5D com Gorilla Glass
  • Resolução de tela: 400×400 pixels
  • Densidade de pixels: 287 ppi
  • Processador: Qualcomm Snapdragon Wear 2100
  • RAM: 512 MB
  • Armazenamento: 4 GB
  • Bateria: 340 mAh
  • Proteção: IP67 (resistente a água e poeira)
  • Conectividade: WiFi e Bluetooth 4.1
  • Sensores: sensor de 6 eixos e sensor de luz
  • Alto-falante e microfone incorporados
  • Preço no Brasil: a partir de R$ 1.799

Design: um smartwatch com cara de relógio

De certa maneira, smartwatches ainda são “percebidos” no pulso como smartwatches e não como relógios tradicionais. Essa característica tem dois aspectos, um bom e um ruim. O ruim é que para os fãs de relógios de verdade, é como se essa nova moda fosse apenas um “brinquedo passageiro”. O lado bom, em alguns casos, é que eles se desenvolveram e ganharam uma identidade própria.

O ASUS ZenWatch 3, de certa forma, une o melhor dos dois mundos e revela um design elegante e que remete até mesmo a uma peça steampunk. O modelo tem a caixa feita em aço inoxidável 316L com acabamento em diamond cut e armação multicamada forjado a frio. A espessura é de  9,95 milímetros, o que o torna um modelo atrativo, mas longe de ser extravagante ou discreto.

O case, por exemplo, é de 45 milímetros, o que o torna ligeiramente maior que modelos como o Huawei Watch, o Moto 360 de segunda geração ou o Apple Watch. Na parte abaixo do aparelho, o destaque são os pontos conectores para o carregador externo. Na lateral direita há três botões, sendo que um deles é completamente customizável, ou seja, você pode atribuir a função que desejar a ele.

Há versões com pulseira de couro italiano legítimo (os mais caros, a partir de R$ 1.999) ou de silicone (os modelos de R$ 1.799). É possível destaca-las de maneira rápida puxando um pino no encaixe com o caixa do relógio. Inicialmente, modelos extras de pulseiras não devem ser comercializados à parte no Brasil. A boa notícia é que o aparelho aceita até mesmo pulseiras comuns, compradas em relojoarias, por conta de seu encaixe convencional.

Tela: brilho na medida e sensor de luminosidade

O display do ASUS ZenWatch 3 é outro aspecto que chama a atenção de forma positiva. Esqueça aquele pequeno “corte” na parte frontal que quebrava a harmonia dos smartwatches circulares. A tela AMOLED do ZenWatch 3 é redonda mesmo e tem 1,39 polegada. A resolução é de 400×400 pixels, o que resulta em uma densidade de pixels de 287 ppi.

O índice de leitura mesmo em ambientes muito iluminados, como sob a luz do sol, é bastante satisfatório. Além disso, o relógio conta com sensores de luminosidade “escondidos” sob o display, o que resulta em recurso muito útil, já que permite regular a intensidade de brilho de forma automática. O importante aqui é que tudo funciona de forma eficiente, mesmo não sendo esse o melhor display da categoria.

Por padrão, o display permanece sempre ligado, como se você estivesse olhando para um relógio convencional. No entanto, é possível mudar isso nas configurações caso você queira poupar um pouco mais a bateria.

Bateria: desempenho razoável dentro da categoria

O ASUS ZenWatch 3 vem com um carregador externo com fio com saída de 2A. Basta conectá-lo direto na tomada ou em uma entrada USB de PC ou notebook para iniciar a recarga da bateria que tem capacidade de 340 mAh. O relógio conta com o recurso fast charging, que permite a recarga mais rápida, e em nossos testes levou em média 17 minutos para preencher 50% da carga e 50 minutos para 100%.

Em se tratando de tempo de duração, a bateria se saiu bem se comparada com demais modelos similares do mercado. Usando o relógio de forma moderada (tela sempre ligada, relógio pareado com o smartphone e notificações habilitadas) foi possível chegar ao fim de um dia com a carga em 30 ou 40%.

Em geral, pouco mais de 30 horas contínuas os 100% da carga chegam ao fim. Ou seja, na maioria das vezes dá para entrar em um segundo dia de uso com ele sem a necessidade de recarga. Se por um lado, comparando com a concorrência, os valores são razoáveis, por outro isso mostra que os smartwatches ainda têm muito que evoluir nesse quesito, já que recarregar bateria de relógio seguidas vezes na semana ainda é um certo incômodo.

Contudo, vale lembrar que o aparelho da ASUS conta ainda com um chamado modo ECO, que segundo a empresa aumenta em 200% o tempo de uso da bateria. Outra novidade é a existência de um acessório – também indisponível no Brasil – que pode ser acoplado à parte de baixo do relógio, deixando ele mais “gordo”, mas com 40% mais de capacidade.

Certificações e sensores: sem batimentos cardíacos

O smartwatch ASUS ZenWatch 3 conta com certificação IP67, o que significa que ele é à prova de poeira e está protegido contra imersão na água por até 1 metro durante 30 minutos. Entre os sensores, os destaques ficam por conta do sensor de seis eixos, que permite não só entender as direções como também a intensidade dos movimentos, e do sensor de luminosidade, que já mencionamos no quesito tela.

O ponto que deve decepcionar boa parte dos consumidores é a ausência de um sensor para batimentos cardíacos. A ASUS explica essa ausência como uma opção, já que considera o ZenWatch 3 muito mais o aparelho como um acessório de moda do que como um acessório esportivo. Ou seja, se esse recurso importa para você, será preciso ter outro acessório para conseguir mensurar esses dados.

Desempenho: o que há de melhor, na medida do possível

Esperava-se que a versão 2.0 do Android Wear fosse lançada em 2016 pela Google. Como ela não veio, as fabricantes que lançaram relógios neste ano foram ao mercado com o Android Wear 1.5. Contudo, não se sabe quando a próxima geração do SO virá e, da mesma forma, não há garantia alguma de que o ZenWatch 3 terá atualização para ele.

Ainda assim, dentro dessas limitações, o desempenho do relógio se mostra entre os melhores da sua categoria. O processador Qualcomm Snapdragon Wear 2100 garante um consumo menor de energia sem comprometer o desempenho. Transitar entre uma tela e outra é um processo sem engasgos, travamentos ou atrasos no tempo de resposta. Há resposta aos comandos é satisfatória. O relógio conta ainda com 512 MB de RAM e 4 GB de espaço de armazenamento.

Software: mais opções de customização

Depois de parear o seu smartphone com o ZenWatch 3, todo o gerenciamento do relógio é feito por meio do app ZenWatch Manager. Você pode contar ainda com as outras centenas de aplicativos compatíveis com o Android Wear, mas recomendamos ainda o download de outros dois, também sugeridos pela ASUS: o ASUS ZenFit e o ZenWatch FaceDesigner.

No ZenWatch Manager você pode escolher as faces do relógio que deseja aplicar. São mais de 50 disponíveis e ainda existe a possibilidade de você criar as suas próprias com o ZenWatch FaceDesigner. Além disso, você pode definir até três informações extras para aparecerem na tela de forma auxiliar, entre 13 disponíveis.

Por exemplo, você pode escolher exibir Bateria do relógio, Clima e Segundo fuso horário, deixando de lado itens como Bateria do telefone, Meta de atividade, Passos diários, Caloria, Nascer do sol/por do sol, UV, Umidade, Chamada perdida, Número de evento do calendário ou Gmail não lidos.

No app você pode ainda gerenciar os aplicativos Android Wear instalados e configurar outros itens de uso, como uso do relógio como lanterna, desbloqueio de telefone usando o relógio, ativação da vibração do relógio para encontra-lo ou ainda para avisar que o celular está longe e gerenciamento de chamadas.

Conclusão: vale a pena?

A ASUS decidiu posicionar o ZenWatch 3 como um acessório premium, apostando em materiais de melhor qualidade e acabamento diferenciado. Somado a isso, temos o fato de que o relógio não conta com um sensor de batimentos cardíacos, que definitivamente não o coloca na categoria de relógios esportivos.

Além do design, outros itens merecem elogios, como as opções de customização de software, o display AMOLED com sensor de luminosidade sob a tela e até mesmo o desempenho de bateria. Em linhas gerais, o ZenWatch 3 briga de igual para igual em termos de qualidade e desempenho conta outros modelos como o Motorola Moto 360, o Huawei Watch e o LG Urban. Todos eles entregam o que há de melhor dentro do que o Android Wear pode oferecer.

Só que esse é justamente o problema: o que o Android Wear pode oferecer. Dois anos após o lançamento do sistema, podemos dizer que ele evoluiu, mas está longe de se tornar necessário no pulso do consumidor. Como ele está hoje, os relógios em geral ainda proporcionam uma experiência dependente dos celulares, como um “atalho de luxo” para funções que seu smartphone faz com tranquilidade no seu bolso.

Sob essa ótica, investir cerca de R$ 1,8 mil em qualquer smartwatch com essas características é algo bem dispendioso e que não se justifica para a maioria dos consumidores. É um luxo e, estando você ciente disso e ainda assim tendo interesse em seguir com a compra, vá em frente, pois o produto de fato entrega o que promete. Em resumo: necessário ele não é, mas certamente você fará bonito com ele no seu pulso.

ASUS ZenWatch 3: onde comprar?

Comentários

Jornalista e especialista em Comunicação Audiovisual, Wikerson Landim foi um dos criadores do TecMundo e atuou como editor-chefe do site durante três anos. Além disso foi redator e editor dos sites Baixaki, Mega Curioso e Minha Série. Criador do Techroad, viaja o mundo cobrindo os principais eventos de tecnologia do planeta e visitando as grandes empresas que fazem a diferença no mercado.